29/01/2011

ainda o Inverno...

porque o sol sempre brilha mais depois da chuva...

video

28/01/2011

O nevoeiro mergulha na rua destilando mistério

E árvores despidas abraçam-no.

A frescura sente-se no ar.

O céu cinzento reúne negras e volumosas nuvens,

Os animais recolhem às suas tocas e esconderijos.

Tic-tac... Os ponteiros avançam um pouco.


Ping, ping...


Começa ela a descer do alto. Primeiro suavemente, depois com mais vigor.


Os chapéus de chuva desfilam pomposamente e os passos são acelerados.

Uma porta é aberta e um menino de gorro sai para fora a correr.

Chapinha numa poça de água e abre um sorriso grande.

É uma manhã de Inverno.

{anatomia de um boneco III}


casulo... de ideias
         ... de projectos
         ... de sonhos
         ... de esperanças
há coisas que precisam ficar embrulhadas cá dentro. metamorfosear-se.
nem todas vêm a luz do dia. essas ficam [res]guardadas num manto agridoce, no fundo do que somos.

nota: o casulo tem um bolso para guardar palavras.

[falta ainda fazer um saco para guardar o casulo. e usar as rendas, o galão e o bordado inglês]

27/01/2011

partilhando bocadinhos de Inverno...

este post. encantaram-me os contrastes. a simplicidade.

espreitem também este.

um hotel muito especial na Suécia. a sua construção aqui.

e ainda este no Canadá.

25/01/2011

[anatomia de um boneco I]


peça de lã sem uso feltrada na máquina da roupa.
tecido de mistura de linho.
pedaços de vintage - botões, rendas, galão e bordado inglês.
enchimento anti-alérgico.

Inverno...

Dentro do café a azáfama era grande. Acho que esta aumenta durante o Inverno, altura em que os dias pedem abrigo da chuva, neve, frio ou vento. Hoje, também eu me refugiei num após um passeio gelado com o filho mais novo. Parámos para um chocolate quente. Não fomos os únicos, as bebidas quentes eram decididamente imperativas num dia como o de hoje. As conversas e os risos cruzavam-se no ar.
Inverno. Procura-se aquecer o coração que nesta época do ano grita mais alto por aconchego. Habituá-lo a viver sem o que o vento outonal levou. Coisas foram varridas. É tempo de criar espaço para a novidade da Primavera. É o momento certo para preparar o terreno e ansiar por uma brisa amena, que aqueça como um abraço.
O sol esconde-se timidamente ao ver a névoa crescer e por vezes arranca os sorrisos. O deserto instala-se. Hoje, o sol espreitou corajosamente rasgando as nuvens, dando um vislumbre do seu esplendor. O dia cinzento conheceu uma cor diferente. Hoje, por instantes, fui recordada da Primavera.

24/01/2011


é uma comichão que se sente
   às vezes nas mãos
       às vezes na cabeça
           às vezes no coração.
irrequieta ou quieta. barulhenta ou silenciosa.
alimenta-se de nós.
também nos alimenta. ou então deixa-nos sós.

lá fora...



e cá dentro...





23/01/2011

10x2


resolvemos limpar o pó ao blog e começar um projecto novo juntas. vamos partilhá-lo com quem passar por aqui nas próximas semanas.